terça-feira, 8 de novembro de 2011

SOBRE FEITIÇARIA

Feitiçaria é o nome dado à prática ou celebração de rituais, orações ou cultos com ou sem uso de amuletos ou talismãs por parte de adeptos do ocultismo, com vista à obtenção de resultados, favores ou objetivos que via de regra não são da vontade de terceiros. Em tempos remotos, os feiticeiros eram considerados curandeiros porque procuravam curar mesmo sem conhecimento de medicina, e como gozavam de considerável influência em diversas comunidades, tornavam-se líderes religiosos ou conselheiros nos agrupamentos humanos a que pertenciam..

Os feiticeiros desempenharam um papel importante no decurso da História, e por isso os povos primitivos, as pessoas de instrução precária, ou influenciadas por concepções e preceitos religiosos, ainda hoje aceitam a idéia de que indivíduos portadores de princípios maléficos são capazes de fazer com que seus pretendidos dons sobrenaturais atuem sobre terceiros, sobre animais ou algo mais. Muitos povos primitivos têm verdadeira veneração pelos feiticeiros, acreditando, por exemplo, que a relação com o sobrenatural lhes confira o conhecimento das causas ocultas das doenças. É o caso, por exemplo, dos pajés dos índios sul-americanos, que se valem das plantas medicinais e de outras práticas médicas para curar determinadas doenças.

A feitiçaria é uma prática tão antiga que o texto bíblico (Deuteronômio, 18:9/13) faz menção a ela, advertindo: “Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te há de dar, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquela terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo o seu filho, ou a sua filha, nem quem se dê a adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, às adivinhações ou à evocação dos mortos, porque o Senhor teu Deus abomina aqueles que se dão a essa prática”. Mas essa recomendação de pouco adiantou. Na Idade Média, tempos da Inquisição, página negra da história do cristianismo, milhares de homens e mulheres foram acusados de feitiçaria e por isso torturados e mortos, porque os tribunais eclesiásticos assim determinavam. A intolerância religiosa daquela época atingiu tal intensidade, que a imaginação popular chegou a atribuir às bruxas a capacidade de voar em vassouras, tema da figura de Goya que ilustra esta página.

Existem atualmente muitos espaços na internet ocupados com a divulgação da feitiçaria, e em um deles (www.geocities.com/alexandretarot/feiticaria.html) lê-se que “feiticeiros e feiticeiras, bruxos e bruxas, ainda existem e vivem entre nós, em pleno século 21. Mais do que simples crendices, a magia ganhou e ganha cada vez mais es-paço em nossa sociedade, alcançando resultados que a ciência não consegue explicar. A magia sobreviveu ás perseguições da Idade Media, ao racionalismo empírico do século 19. e mesmo ao espantoso progresso tecnológico do século 20. Se a Magia não funcionasse, ninguém recorreria a ela, da mesma forma que se os carros não funcionassem, ninguém os compraria e conduziria. A Magia segundo os feiticeiros é a capacidade de manipular forças que podem ser espirituais ou da natureza, para obter fenômenos ditos sobrenaturais. É uma arte, ou ciência que se aprende”.

Mas adverte: “Dessa forma, qualquer um pode aprender a feitiçaria, mas como em qualquer ‘profissão’ as pessoas podem possuir maior ou menor talento, existindo desde os verdadeiros ‘gênios’ da feitiçaria, até aos mais medíocres praticantes. Da mesma forma que muitos estudam e exercem ciências, mas nem todos podem ser um da Vinci ou um Einstein, igualmente muitos praticam a magia, sendo que uns tem elevados níveis de sucesso e outros nem por isso….”

O mesmo acontece nos livros encontrados em qualquer loja do ramo, como no intitulado “Curso e pratica da magia e outros feitiços para tudo”, cujo texto de apresentação explica que nele “você encontrará mais de 123 magias para todos os fins. Inclui os 2 volumes em um só. As magias são ensinadas na pratica para qualquer ser humano realizar por si só e sem nenhum problema, magias para sua melhora financeira, magia para amarração de homens e mulheres, proteção, matar inimigo, evocação de seres das trevas para pacto, alta magia, limpeza de sua casa para evitar negativismo e energias ruins, parte especial de banhos para todos os fins, prever futuro, diversos rituais nunca antes revelados, vampirismo psíquico e muito mais. É realmente fantástico o mundo oculto das magias e tão simples quando se sabe o correto caminho para se ter êxito. Nessa apostila se ensina tudo mesmo, passo a passo e por valor simbólico. Você decide”. E o seu autor garante: “Todas as magias funcionam na pratica. São quase 5 anos de estudo. Confie e cresça, a força é sua”.

Opinando sobre o assunto, o escritor americano Stephen King diz que “a beleza da mania religiosa é que ela tem o poder de explicar tudo. Uma vez que Deus (ou Satã) são aceitos como a primeira causa de tudo que acontece no mundo mortal, nada é deixado à sorte... a lógica pode ser alegremente jogada pela janela". Nessa mesma linha de pensamento, um entendido em feitiçaria garante que ela é o recurso alternativo para as angústias mais urgentes - amor e dinheiro -, porque os queixosos esgotaram suas esperanças em outras ‘portas’. Hoje, a saúde que escapa à medicina dos alopatas e homeopatas contemporâneos, procura os terapeutas "alternativos", os "holísticos", que na verdade resgatam e aprimoram tradições metafísicas arcaicas. Nos postes e muros das cidades, cartomantes oferecem milagres: "Seu amor em sete dias!". Publicam anúncios em revistas. Atendem por telefone.

Como as insatisfações nas esferas de amor e dinheiro são demandas urgentes que escapam aos apelos do bom senso, desafiando a paciência e provocando reações de desespero, os padres, pastores, monges e médiuns nada podem oferecer nesses casos, além de belas palavras de consolo, promessas, orações e conselhos. Diante da decepção, o homem é assaltado pela tentação de recorrer à feitiçaria, e se assim o desejar, não encontrará dificuldade em encontrar o que procura porque existe, mesmo na metrópole de cimento e aço que exala racionalidade, um tipo de feiticeiro disposto a lhe providenciar a solução desejada.



Este texto também foi publicado em www.efecade.com.br, que o autor está construindo. Visite-o e deixe a sua opinião.

FERNANDO KITZINGER DANNEMANN
http://www.fernandodannemann.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=510684

Nenhum comentário:

Postar um comentário